Capoeira angola | somaterapia / soma / terapia corporal anarquista / roberto freire / joão da mata

somaterapia / soma / terapia corporal anarquista / roberto freire / joão da mata-

Capoeira angola

“Capoeira angola, mandinga de escravo em ânsia da liberdade. Seu princípio não tem método e o seu fim é inconcebível ao mais sábio capoeirista. Capoeira é amorosa, não é perversa. Ela é um hábito cortês que criamos dentro de nós, uma coisa vagabunda.”

Vicente Ferreira Pastinha ou Mestre Pastinha, considerado hoje guardião da capoeira angola.

 

A capoeira angola foi arma fundamental na libertação dos escravos e é hoje essencial ao trabalho da Soma. O potencial bioenergético dos movimentos de ataque e defesa, junto à capacidade de despertar em seu praticante o potencial de enfrentamento necessário a luta contra a neurose, tornaram a capoeira angola um importante campo de pesquisa para a Soma. Mistura de dança, luta, teatro e brincadeira, seu universo é tão amplo e apaixonante que resultou em livro: “A Liberdade do Corpo – Soma, capoeira angola e anarquismo” de João da Mata.

Sua implicação no espaço terapêutico da Soma tem sido também objeto de investigação no meio acadêmico. No Doutorado em Psicologia na UFF/RJ, João da Mata trabalha no tema “A arte-luta da capoeira angola e práticas de liberdade”.

 

A Liberdade do Corpo

A capoeira angola foi uma manifestação de negros escravos que, diante da opressão, buscaram uma forma de reação. A influência étnica, cultural e religiosa dos africanos também são fatores determinantes em seu desenvolvimento. Há quase vinte anos pesquisando sua utilidade terapêutica, procuramos destacar o papel social e político que a capoeira desempenhou no processo de luta antiescravocrata: caracterizou-se por uma revolta, por uma reação que se colocou como alternativa à escravidão e à conseqüente conquista da liberdade.

A criação da Soma representou uma possibilidade, no campo terapêutico, para o processo de liberdade diante de uma situação opressiva e reacionária como a escravidão. A Soma surgiu durante a ditadura militar vivida no Brasil nas décadas de 1960 e 1970. Neste período, quem não concordasse com as limitações impostas pelo regime, sofria severas punições como prisões, torturas, exílio e morte. O que se buscou nessas situações foi encontrar formas de reação ao autoritarismo imposto.

Hoje, vivemos uma democracia neoliberal, que impõe uma sutil forma de controle e se torna muito mais complexa em suas malhas de poder. A sutileza é sua grande arma: já não percebemos claramente onde navega o autoritarismo e notamos apenas seus efeitos. A escravidão negra ou as ditaduras foram substituídas por um processo de lenta e progressiva diminuição do poder crítico e da autonomia das pessoas, gerando seres dóceis e passivos.

Essa domesticação do ser humano começa desde a infância, estendendo-se pela adolescência até atingir a vida adulta, criando homens e mulheres apáticos e acomodados, sem espírito de luta. Educadas por meio de uma pedagogia alienante, a maioria dos jovens tornam-se obedientes e submissos. Tanto a pedagogia doméstica quanto a escolar, quando coercitivas, criam pessoas sem a capacidade crítica e sem o desejo de participação ativa na sociedade.

Um ponto fundamental e em comum na Soma e na capoeira é a importância do corpo. O negro – mera mercadoria, bem de propriedade de um senhor ou dono a ser usado até o fim, a morte ou a velhice –, por meio da capoeira, utilizou seu corpo como arma de luta para reagir à opressão. O resgate da identidade corporal foi um fator determinante para utilizá-lo como instrumento de defesa e reação. Isto é o que a Soma procura realizar nos corpos e nas pessoas, para que possam se defender e lutar, inclusive com a capoeira, contra a escravidão branca do autoritarismo capitalista neoliberal.

A capoeira angola vem sendo pesquisada no processo da SOMA há mais de vinte anos. Neste período, temos utilizado os movimentos, os cantos e o jogo da capoeira nas sessões de terapia. A partir disso, realizamos um estudo das sensações e percepções dos membros do grupo em relação à sua prática. Como em outras sessões, o trabalho corporal realizado com a capoeira tem nos auxiliado na construção do processo terapêutico somático.

(Trecho do livro “A Liberdade do Corpo” de João da Mata, Ed. Imaginário)

Newsletter da Soma

assinar reset

Soma no Rio de Janeiro

Rua Maria Eugenia 215 /
Sala 201 /Humaita
+55 21 9 9871 3684 / +55 21 3268 4206
info@somaterapia.com.br

Soma em São Paulo

Rua Cardoso de Almeida 54 /
I° andar / Perdizes
+55 21 9 9871 3684 / +55 21 3268 4206
info@somaterapia.com.br

MANDAR UM EMAIL
Soma No Facebook